Blog

Diretor da Fifa defende parceria com o Brasil em ações de sustentabilidade para a Copa

O diretor de Responsabilidade Social da Fifa, Federico Addiechi, defendeu nesta quinta-feira (26.05) uma parceria com o governo brasileiro e as cidades-sede na implementação de ações sustentáveis na preparação e na realização da Copa 2014. Durante reunião extraordinária da Câmara Temática do Meio Ambiente e Sustentabilidade, em Brasília, Addiechi afirmou que a experiência brasileira pode servir de exemplo para os próximos Mundiais da Fifa, na Rússia, em 2018, e no Catar, em 2022.

“Temos uma grande responsabilidade por causa da popularidade do futebol e da visibilidade da Copa do Mundo, o maior evento esportivo do planeta. E o exemplo brasileiro pode ser imitado no futuro”, disse Addiechi, lembrando que 1 bilhão de espectadores assistiram à final da Copa de 2010 na África do Sul.

Segundo ele, governo brasileiro e Fifa compartilham a visão de que o esporte, sobretudo o futebol, pode ser usado como ferramenta para atacar problemas sociais. “Mas podemos usá-lo também em defesa do desenvolvimento sustentável.”

De acordo com o coordenador das Câmaras Temáticas da Copa 2014, Joel Benin, a defesa da sustentabilidade na preparação do Brasil para receber o Mundial da Fifa ganhou força neste segundo ciclo de planejamento, que se inicia agora. “O governo tem a visão de que a Copa é uma excelente plataforma de fortalecimento do Brasil em âmbito mundial. E o Mundial está sintonizada com o momento que o país vive”, avaliou Benin.

Governo brasileiro, cidades-sede e Fifa querem avançar na construção de uma agenda de trabalho conjunta, aproveitando a “sintonia de objetivos” na área da sustentabilidade. Segundo o coordenador da Câmara Temática de Meio Ambiente, Claudio Langone, mais que mitigar o impacto da realização de um megaevento, a ideia é garantir um legado sustentável e desenvolver ações que possam ser percebidas pela sociedade, além de promover seu engajamento.

Langone destaca que há uma grande expectativa de que a Copa no Brasil marque um diferencial nessa área, fortalecendo a diversidade do país, com políticas ambientais consistentes e liderança global. “As cidades-sede são fundamentais para a efetividade das nossas diretrizes”, explicou.

Selo de certificação
Belo Horizonte já desenvolve projetos de sustentabilidade envolvendo os empreendimentos da Copa 2014. O município pretende criar um selo de certificação para as obras. Hotéis, bares, restaurantes e outros estabelecimentos que adotarem medidas para reduzir o consumo de água e de energia e para melhorar a gestão dos resíduos vão receber um selo da Prefeitura de Belo Horizonte. A certificação do município poderá contar com o aval da Fifa.

“É importante implementar uma política indutora de ações sustentáveis, e nossa ideia é buscar a chancela da Fifa”, contou
o gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Prefeitura de Belo Horizonte, Weber Coutinho. “Com issom o município alavanca uma política ambiental baseada na resultado do empreendimento, e não apenas na obra.”

Top

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.


Top